ariana

Pottermore lança artigo sobre Ariana Dumbledore que pode reforçar teoria sobre “Animais Fantásticos”

Pottermore, plataforma lançada por J.K. Rowling para divulgar conteúdos relacionados à saga Harry Potter, acabou de postar um novo artigo sobre Ariana Dumbledore, irmã mais nova de Alvo Dumbledore. O novo texto pode fortalezer uma nova teoria sobre “Animais Fantásticos e Onde Habitam”, que por conter spoilers, você confere logo abaixo do texto.

Confiram o artigo traduzido por nossa equipe:

A misteriosa vida e morte de Ariana Dumbledor

Lançado por Pottermore.com
Tradução por Marcello Oliveira

Relembrando a tragédia de uma jovem bruxa que morreu com 14 anos, mas cuja vida teve consequências de longo alcance.

No Image

Nós testemunhamos muitos atos de maldade, a maioria pelas mãos dos Comensais da Morte e seus apoiadores. Mas é impressionante, dado o poderoso potencial da magia negra, que os causadores de um dos piores atos de maldade vistos na história da bruxaria foi  um grupo de garotos trouxas comuns.

A vitima desse ato foi uma garota de seis anos de idade, Ariana Dumbledore, a irmã mais nova do brilhante diretor de Hogwarts Alvo, e do barman do Cabeça de Javali Aberforth.

wb_f8_aberforthdumbledore_ronandhermionehogshead_hpdh2-11284

 “Quando minha irmã tinha seis anos, ela foi atacada por três garotos trouxas. Eles estavam espiando através da cerca do jardim e a viram usar magia. Ela era uma criança, não podia controlar, nenhum bruxo ou bruxa consegue nessa idade. O que eles viram os apavorou, eu acho. Eles passaram pela cerca e quando descobriram que ela não estava fazendo truques, eles se empolgaram ao tentar fazê-la parar.
Harry Potter e as Relíquias da Morte

O ataque brutal à jovem Ariana a deixou assustada e afetada, mentalmente instável e com medo de fazer magia. Seus poderes “se viraram para dentro”, o que é extremamente perigoso. Aberforth a descreve na maioria das vezes como “doce, e assustada, e inofensiva”, mas quando ela ficava nervosa, sua magia podia sair de dentro dela e ela poderia se tornar “estranha e perigosa”.

O efeito agitado do ataque à pobre Ariana se espalhou por todos os cantos da família. Seu pai, Percival Dumbledore, foi atrás dos garotos trouxas e foi enviado à Azkaban por agredi-los. Nunca revelando o porque dele ter feito, Percival temia que se o Ministério soubesse que Ariana ficou louca pelo que aconteceu, ela passaria o resto de sua vida no Hospital Sr Mungos para Doenças e Acidentes Mágicos.

Seguido da prisão de Percival, sua esposa Kendra Dumbledore mudou-se de onde o ataque aconteceu para Godric’s Hollow, onde manteve sua filha em extremo segredo  e só a deixava sair ao final da noite.

Na biografia de Rita Skeeter, A Vida e as Mentiras de Alvo Dumbledore, ela sugere que a vergonha de Kendra foi por ter produzido um aborto – um mago ou bruxa sem habilidades mágicas – o que a fez manter sua filha fora do vislumbre público. Ela alega que quando Alvo e Aberforth foram perguntados porque sua irmã não estava em Hogwarts, eles foram ensinados pela mãe a dizer “Minha irmã é muito delicada para a escola.”

É claro que não era a falta de habilidades mágicas, mas a existência de uma boa quantidade de inconfrontável magia que estava na raiz do encarceramento de Ariana.  Tragicamente, assim que Alvo graduou na escola e antes dele embarcar em uma viagem ao redor do mundo com seu amigo Eliphas Doge, sua mãe Kendra morreu como resultado das explosões mágicas de Ariana.

“Então, quando ela tinha quatorze anos… veja bem, eu não estava aqui – disse Aberforth. – Se eu estivesse aqui, eu poderia tê-la acalmado. Ela teve uma série de suas crises, e minha mãe já não era mais tão jovem, e… foi um acidente. Ariana não podia controlar isso. Mas minha mãe foi morta.”
Harry Potter e as Relíquias da Morte

Alvo cancelou sua viagem e retornou para casa para cuidar de Ariana, insistindo que seu irmão mais novo continuasse seus estudos em Hogwarts. Mas o jovem Alvo, que estava planejando suas viagens e sua brilhante carreira, estava ressentido em ficar preso a uma casa em Godric’s Hollow com uma irmã que precisava de cuidado constante.

“Eu era talentoso, brilhante. Eu queria escapar. Queria brilhar. Queria glória. Não me interprete mal, – ele disse, e a dor cruzou sua face de tal forma que agora ele parecia velho de
novo. – Eu os amava. Amava meus pais, amava meu irmão e minha irmã, mas eu era egoísta, Harry, mais egoísta que você, que é uma pessoa notavelmente altruísta, pode imaginar.”
“Tanto que, quando minha mãe morreu, e eu fiquei responsável por uma irmã deteriorada e um irmão teimoso, eu retornei a minha vila com raiva e amargura.
Enjaulado e desperdiçado, eu pensei! E então, é claro, ele veio…”
Harry Potter e as Relíquias da Morte

“Ele” é Gerardo Grindelwald, é claro, o brilhante bruxo que deveria ter ganho o titulo de maior bruxo das trevas do último século se Voldemort não tivesse o tirado do posto uma geração depois.

Gerardo fez amizade com o Alvo de 17 anos quando ele veio para ficar com sua tia avó Bathilda Bagshot, durante o verão após a morte de Kendra. A dupla se tornou inseparável enquanto compartilhavam ideias para uma “nova ordem bruxa” e criaram uma obsessão com as Relíquias. Mas Aberforth sentiu que a amizade de Alvo com Grindelwald deixou Ariana abandonada. Ele os desafiou e a argumentação se tornou uma luta com consequências devastadoras.

Eu puxei a minha varinha, ele puxou a dele, e a Maldição Cruciatus foi usada em mim pelo melhor amigo do meu irmão… e Alvo tentou pará-lo, e então nós três estávamos duelando, e os jatos de luz e explosões deixaram-na fora de ação, ela não podia suportar aquilo… – A cor da face de Aberforth foi sugada como se ele tivesse sofrido uma ferida mortal. – E acho que ela queria ajudar, mas ela não sabia realmente o que estava fazendo, e eu não sei qual de nós fez aquilo,
pode ter sido qualquer um de nós – e ela estava morta.”
Harry Potter e as Relíquias da Morte

Precisamente, quem lançou o feitiço que matou Ariana ainda não é claro, embora quando Harry encontrou Alvo Dumbledore em King’s Cross, depois de ter sido quase morto durante a Batalha de Hogwarts, o velho diretor sugeriu fortemente que foi Grindelwald quem conjurou o feitiço mortal.

“Grindelwald perdeu controle. Aquilo que eu sempre senti nele, embora tenha fingido não sentir, agora se mostrara como um ser terrível. E Ariana… depois de todo o cuidado de minha mãe…
jazia morta sobre o chão.”
Harry Potter e as Relíquias da Morte

Foi em uma “luta ao lado da caixão” no funeral de Ariana que o diretor de Hogwarts teve seu nariz quebrado por seu furioso irmão, Aberforth. Os irmãos se reconciliariam em breve mas os sentimentos de culpa e suas dores separadas parecem que nunca foram verdadeiramente dissipadas.

A decisão de Alvo de ir atrás de Grindelwald para impedir suas atrocidades anos depois parece ter sido alimentada em parte pela morte de Ariana. Reconhecendo como seu julgamento foi obscurecido pela sua obsessão com as Relíquias, ele informou que recusaria ao posto de Ministro da Magia.

O diretor de Hogwarts cometeu um último erro como resultado dos sentimentos de culpa que cercaram a morte de Ariana: ele colocou no dedo o anel amaldiçoado contendo a Pedra da Ressurreição que Voldemort transformou em Horcrux – um ato mal orientado, mas também compreensível.

“Eu o peguei e o coloquei, e por um segundo eu imaginei que estava prestes a ver Ariana, e minha mãe, e meu pai, e dizê-los o quanto, quanto arrependido estava…”
Harry Potter e as Relíquias da Morte

Fim do texto

A teoria que esse texto pode esclarecer se trata de uma das que mais vem sido discutidas entre os fãs recentemente, e inclui spoilers  de “Animais Fantásticos e Onde Habitam”: Segundo alguns fãs, Ariana Dumbledore não era um aborto, e sim uma obscurial, ou seja, portadora do Obscurus, que conhecemos no filme.

E você? O que acha? Seria uma boa conclusão para a história dos Dumbledore, que tanto questionamos desde “Harry Potter e as Relíquias da Morte”? A resposta só pode estar nos próximos filmes da saga Animais Fantásticos, que por sua vez, parece se aproximar cada vez mais da franquia Harry Potter.

Participante do Sobre Sagas desde 2013, entrou na equipe como Colunista do site. Potterhead desde 2006, viu em Potter a oportunidade de se apaixonar por literatura fantástica (O Senhor dos Anéis, As Crônicas de Gelo e Fogo, Percy Jackson), e atualmente também tem se apaixonado por distopias (The Hunger Games) e dramas mais densos.
  • Humberto Lima

    Acho que ninguém nunca pensou que Ariana fosse um aborto. Abortos não possuem magia!! E Ariana era notavelmente uma bruxa.